Notícias

Empresa do grupo CCR vence leilão da Rodovia de Integração do Sul

06/11/2018


Empresa do grupo CCR vence leilão da Rodovia de Integração do Sul

Com proposta de R$ 4,30 para a tarifa de pedágio, o Grupo CCR venceu nesta quinta-feira (1º) o leilão da Rodovia de Integração do Sul (RIS), pacote que inclui a concessão das BRs 101, 290 (somente no trecho da Freeway, da Capital a Osório), 386 (entre Canoas a Carazinho) e 448 (Rodovia do Parque) pelos próximos 30 anos.

O Grupo CCR, maior concessionária rodoviária do país, responsável, por exemplo, pela administração da Via Dutra (SP) e da Ponte Rio-Niterói (RJ), participou do leilão por meio de seu braço estratégico, a Companhia de Participações em Concessões (CPC).

No total, cinco propostas foram abertas publicamente nesta manhã na sede da Bolsa de Valores (B3), em São Paulo. O Grupo CCR apresentou a menor tarifa, 40,53% abaixo do teto estipulado no edital, cujo valor era de R$ 7,24.

Os demais participantes do leilão foram: EcoRodovias, que ofereceu pedágio de R$ 4,56; consórcio espanhol Sacyr (R$ 5,25); Infraestrutura Brasil Holding (R$ 4,43) e Consórcio Integra Sul (R$ 5,27).

Abrangendo 32 municípios gaúchos e 473,5 quilômetros de estradas, a concessão exige investimento de R$ 7,8 bilhões em obras e R$ 5,6 bilhões em manutenção e operação. Tudo será bancado pelos usuários, por meio de sete praças de pedágio, que terão valor único de R$ 4,30 em cada sentido.

O contrato com a empresa vencedora será assinado em 9 de janeiro, já no governo de Jair Bolsonaro. A partir disso, a concessionária terá um mês para iniciar a recuperação das estradas e a cobrança de pedágio, que inicialmente será apenas nas praças da Freeway, em Gravataí e Santo Antônio da Patrulha. A cobrança nos demais pontos, quatro ao longo do trecho concedido da BR-386 e uma na BR-101, está previsto para março de 2020.

Calendário previsto das obras

• 2019: trabalhos iniciais, com intervenções emergenciais, como tapa-buracos e reparos no acostamento, melhorias na sinalização vertical (placas) e horizontal (pinturas na pista) e colocação de taxas refletivas em 100% do trecho concedido.

• 2020 a 2023: recuperação de todas as rodovias, incluindo recapeamento de trechos e reforma estrutural de passarelas e viadutos.

• 2021 a 2030: duplicação de Lajeado a Carazinho (BR-386).

• 2031 a 2036: adequação da duplicação de Canoas a Tabaí (BR-386) e alargamento da Freeway, de Gravataí a Osório.

As propostas de cada proponente pela concessão da rodovia:

Ecorodovias

• Tarifa: R$ 4,55941

• Deságio: 37,02%

Sacyr

• Tarifa: R$ 5,25389

• Deságio: 27,43%

Infraestrutura Brasil Holding II

• Tarifa: R$ 4,43570

• Deságio: 38,73%

Consórcio de Integração do Sul

• Tarifa: R$ 5,27000

• Deságio: 27,20%

Companhia de Participações em Concessões (CCR)

• Tarifa: R$ 4,30545

• Deságio: 40,53%

Avaliação do SETCERGS

O vice-presidente de Logística do SETCERGS, Frank Woodhead, avalia que o resultado final deste leilão com deságio de até 40% sobre preço inicial que, por sua vez, já tinha sido reduzido em cerca de 30% sobre os preços iniciais após a participação de diversos grupos constituídos após audiências publica bastante tumultuada, é uma conquista. “Foi, em nosso ponto de vista, uma vitória da sociedade como um todo, engajada e participativa num processo que foi demorado, mas com a certeza de que não iríamos repetir erros do passado. Parabéns a todos envolvidos”, salientou Frank.

Fonte: Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no Estado do Rio Grande do Sul - SETCERGS

 
Todas as notícias
 
 
 
  • Baner DESPOLUIR